ÉTICA MINISTERIAL

É impressionante, como existe uma gama de “obreiros” contemporâneos, que desconhecem e/ou não praticam um princípio imprescindível para a vida ministerial de qualquer oficial que atua na obra de Deus, por mais simples que este seja. Estamos vivendo uma crise no campo da ética ministerial, sem precedentes.

Obreiros cheios de anomalia, não só ética, mas também moral e sobretudo espiritual. Indivíduos que não respeitam nenhuma regra e nenhum limite, mas que agem de forma equivocada, leviana e antropocêntrica, tendo em vista somente o seu bem estar e a sua projeção a qualquer custo e em detrimento de outrem. Tais atitudes, corroboram exatamente com aquilo que é asseverado pelo apóstolo paulo em Filipenses 3.19, deixando bem claro que o destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com coisas terrenas (ARA). São como rochas submersas, em vossas festas pastores que a si mesmo se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos, árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidos, duplamente mortas, desarraigadas (Jd v-12). São neófitos e ao mesmo tempo, desprovidos de uma vida ilibada e pautada nas Escrituras sagradas, Não se portam com o mínimo de temor, respeito e coerência. Ao invés disso, preferem viver uma vida dissoluta, sem um bom testemunho (Mt 5.16) e repleta de sofismas e embustes, Ou seja, vivem enganando e sendo enganados. O príncipe dos pregadores (Spurgeon), tinha uma frase muito emblemática, que dizia: “Falsos profetas, são um juízo de Deus para os falsos crentes”.Logo, podemos concordar com ele, em gênero, número e grau (2 Tm 4.2-4). Mediante esta simples reflexão, cheguei a conclusão de que tais arautos, além de estarem perdidos, estão conduzindo uma numerosa multidão de pessoas incautas e desprovidas da verdade absoluta do evangelho, para povoar o inferno com muita facilidade. Eles não tem nenhum temor, praticar toda a sorte de falcatruas e picaretagens, inclusive a invasão de campo alheio, não obstante a recomendação bíblica ser antagônica  a tal atitude (Cf. 2 Co 10.14-16). Ou seja, estamos no fim! Tudo nos mostra que Cristo já volta! Fica aqui o meu protesto!

Pastor Mauro Alves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *